Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

As Taras Da Lina

Comunicadora, Sonhadora, Sardenta, Desastrada q.b., Geminiana, Cinéfila, Leitora Compulsiva, Fotógrafa Amadora, Dog Person e Cidadã do Mundo mas a viver em Portugal. Be my guest ;)

As Taras Da Lina

Comunicadora, Sonhadora, Sardenta, Desastrada q.b., Geminiana, Cinéfila, Leitora Compulsiva, Fotógrafa Amadora, Dog Person e Cidadã do Mundo mas a viver em Portugal. Be my guest ;)

Berlim

Berlim foi um desafio. Decidi que estava na altura de fazer a minha primeira viagem sozinha. E apesar de não falar alemão atirei-me de cabeça. Afinal toda a gente percebe inglês... E gestos também. 

Aprendi logo mal cheguei que se estás sozinha no comboio que supostamente pára na estação próxima do hostel em que vais ficar e começas a ouvir o nome da paragem que queres 4 ou 5 vezes misturadas com outras palavras em alemão das quais não apanhas nada é bom que ponhas cara de parva como quem diz "Socorro!". Só assim terás uma alma caridosa que vai olhar para ti e dizer em inglês: "Não percebeu pois não? Vai ter que trocar, é que este afinal já não anda mais."

Apredi que a teoria que os cães polícias são pastores alemães só funciona nas séries de tv. Todos os cães polícias que vi  nenhum, repito nenhum, era pastor alemão. Aliás nem sequer vi pastores alemães.

Aprendi também que é muito bonito dizer de boca cheia: "Ah e tal sou muito corajosa em viajar sozinha. Vai ser um desafio, não ter a quem recorrer e bla bla bla" mas na realidade acabei por encontrar pessoal da minha terra, estamos em todo o lado e a ir jantar lá a casa num dos dias.

Aprendi ainda que tenho ares de alemã ao ser interpelada por dois jornalistas que depois de falar para mim super rápido e em alemão apenas sorri e disse: "Sorry I'm not german." Aprendi, aliás descobri, que também posso ter ar de russa. Ao chegar a uma bilheteira e pedir em inglês a senhora respondeu num idioma que me deixou a olhar para ela com cara de tacho ao que ela depois responde: "Oh you're not russian."

Constatei que a Alemanha é o país que visitei com a quantidade maior de homens giros por m2, ou então saíram todos à rua enquanto por lá andei. 

Visitei a "Topografia do horror" será talvez um dos lugares mais pesados em que estive até agora. No entanto não deixa de ser, a meu ver, um dos lugares obrigatórios a visitar. Para quem não sabe é possível ver toda a história desde a ascenção até à queda do governo de Hitler. Um edifício com documentação e imensas fotos da 2a guerra, do holocausto, dos presos políticos que ajudavam os judeus, etc, etc. Para onde quer que olhe é mesmo o horror que se vê. Visitei também Centro de Documentação do Muro de Berlim. É possível conhecer histórias de sobreviventes que passaram o muro por lugares escondidos, a história política e rostos dos que foram mortos. No fim vemos um documentário sobre os dias da queda e a alegria do reencontro de Este e Oeste.

Visitei ainda muitos mais monumentos da cidade. Uma curiosidade é que todos eles, ou quase todos, têm marcas de balas, de forma a que não esqueçamos o passado.

Foi uma aventura, ri-me, perdi-me,emocionei-me e não caí na neve nem sei como. Provei salsicha, que é boa, e Berliner que é a Bola de Berlim e digo-vos já que a nossa dá 10 a 0 à alemã :) Andei de trenó, sorri para alemães trombudos no metro e acima de tudo provei a mim mesma que me desenrasco sozinha. E se eu consigo vocês tambem conseguem.

Deixo-vos algumas fotos e votos de muitas aventuras ;)

IMG_1348.JPG

 

IMG_1465.JPG

 

IMG_1586.JPG

 

IMG_1352.JPG

 

IMG_1418.JPG

 

 

IMG_20170130_120112.jpg

 

IMG_20170131_125935.jpg

 

IMG_20170131_145233.jpg

 

IMG_20170201_104255.jpg

 

IMG_20170201_104801.jpg

 (Fotos da minha autoria)

 

12 comentários

Comentar post