Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

As Taras Da Lina

Comunicadora, Sonhadora, Sardenta, Desastrada q.b., Geminiana, Cinéfila, Leitora Compulsiva, Fotógrafa Amadora, Dog Person e Cidadã do Mundo mas a viver em Portugal. Be my guest ;)

As Taras Da Lina

Comunicadora, Sonhadora, Sardenta, Desastrada q.b., Geminiana, Cinéfila, Leitora Compulsiva, Fotógrafa Amadora, Dog Person e Cidadã do Mundo mas a viver em Portugal. Be my guest ;)

Stay weird! Stay different!

No rescaldo dos Óscars não vou comentar vestidos até porque é o que mais aparece aqui na blogosfera.

Também não vou falar dos vencedores se foram justos ou não.

Apenas assinalo que, para mim, foi das melhores edições a nível de discurso provando que em Hollywood por detrás de toda a pompa e circunstância há conteúdo!

A Julianne Moore a consciencializar para os doentes com Alzheimer.

A Patricia Arquette a reinvendicar os direitos das mulheres.

O John Legend e os Direitos da Comunidade Negra.

O realizador Iñarritu sobre os emigrantes mexicanos.

O Eddie Redmayne (que fez um papelão na "Teoria de Tudo" e era o meu favorito na categoria) a assinalar os doentes com Esclerose Lateral Amiotrófica.

E, o que mais me emocionou, Graham Moore, o guionista de "O Jogo da Imitação", sobre o não acharmos que nos encaixamos e a coragem de levantar a cabeça e acreditar que um dia perceberemos o que estamos a fzer neste mundo.

 

"When I was 16 years old,I tried to kill myself because I felt weird and I felt different and I felt like I did not belong. And now I'm standing here and so I would like for this moment to be for that kid out there who feels like she's weird or she's different or she doesn't fit in anywhere. Yes, you do. I promise you do. You do. Stay weird, stay different. And then when it's your turn and you're standing on this stage, please pass the same message to the next person who comes along."