Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

As Taras Da Lina

Geminiana de signo. Nascida à beira-mar e a viver nas montanhas. Gosto de viajar pelo mundo, pelos livros e pelo cinema. Licenciada em Comunicação. Dona de um pastor alemão. Convicta que a vida sabe sempre o que faz.

As Taras Da Lina

Geminiana de signo. Nascida à beira-mar e a viver nas montanhas. Gosto de viajar pelo mundo, pelos livros e pelo cinema. Licenciada em Comunicação. Dona de um pastor alemão. Convicta que a vida sabe sempre o que faz.

Qua | 20.06.18

A era dos filtros

RP

Vivemos na era dos filtros. As pessoas tiram uma foto e antes a postar nas redes sociais é só filtros, embelezamentos, photoshops entre outras mudanças, tudo pela busca dos 1500 likes e de comentários a gabar a beleza natural que de natural tem pouco. E depois passamos pelas pessoas na rua e não as reconhecemos. Ou elas são identificadas em fotos de terceiros e nem parecem as mesmas. Apesar de tudo estes filtros não me incomodam e a meu ver são os mais inofensivos.

O problema são os outros filtros. Pessoas que gostam de se passar pelo que não são. Que gostam de provocar, de infernizar, ou pelo menos tentar, a vida aos outros. Pessoas que parecem não fazer mal a uma mosca e no fundo tentam fazer mal a toda a gente, ou pelo menos, aquelas que acham que serão concorrência em algum aspeto seja no campo profissional, pessoal ou até de relacionamentos.  Nunca gostei desse género de filtros. Até porque no meu caso se não gosto de algo por muito que não abra a boca nota-se na minha cara. Mas o facto de não gostar desse género de gente não quer dizer que lhes faça o mesmo. Se toda a gente tentasse infernizar a minha vida como eu infernizo a deles estaríamos todos a viver em paz. Sim eu digo tentar porque até posso reparar quando alguém me tenta “atacar” mas faço de conta porque honestamente as coisas e pessoas só têm a importância que nós lhe dermos. E como já disse numa crónica anterior as pessoas que atualmente não gostam de mim e tentam picar-me não me conseguem pôr mal nem chateada apenas e só me dão sono. E isso não era necessário porque já sofro de sono que chegue.

Portanto meus caros, filtros só no instagram para embelezar paisagens e parecer que somos fotógrafos profissionais, porque lá a vida é sempre perfeita. Na vida real, aquela que nem sempre corre bem, usem filtros só para filtrar o que de bom nos acontece, os amigos que valem a pena… Ou para filtrar o chá. Filtros para me fazer melhor que alguém dispenso. Até porque não estou acima de ninguém… Mas também não estou abaixo. E parecer uma pessoa super simpática, super querida e amorosa e depois andar a tentar tramar os outros ou a picar por querer algo que as outras pessoas têm ou tiveram… Não dá para mim. E também não deveria dar para vocês. De facto vivemos na era dos filtros. Não vão em modas e façam como eu, fiquem-se pelos das redes sociais.

Qui | 07.06.18

O Mapa que me leva até ti

RP

Este é o meu mais recente acompanhante. 

Uma leitura leve, a chamar o Verão que por estes dias não quer aparecer.

E apesar de não ser grande fã de romances estou a gostar.

 

IMG_20180607_135844_222.jpg

 

 

"Heather já acabou os estudos e está prestes a aceitar uma proposta de emprego num grande banco em Manhattan. Antes disso, no entanto, decide fazer uma viagem de comboio pela Europa com as amigas. Umas férias merecidas, antes de começar a vida adulta.

Até aqui, tudo normal, certo?

Mas quando um rapaz chamado Jack lhe pede licença e trepa pelo seu assento no comboio para se deitar a dormir no compartimento de bagagens, Heather percebe que esta viagem talvez não vá ser tão normal assim. Chegados a Amesterdão, já são inseparáveis.

Enquanto descobrem os canais da cidade holandesa, Jack partilha com Heather os motivos da sua viagem. Tem um velho diário, do seu avô, que refere todos os sítios aonde quer ir.

O casal, juntamente com uma série de amigos, vai acabar por percorrer o itinerário do avô de Jack o melhor que pode.
Mas será que Jack está a contar a Heather tudo sobre o seu passado? E será o encanto do velho continente suficiente para cimentar um amor que apareceu do nada?"

 

IMG_20180607_135735_812.jpg

 

É de leitura fácil. E o facto de se passar numa viagem pela Europa e eu ser fã de viagens ajuda, claro.

Recorda-me um pouco o "Antes de Amanhecer".

Ainda só vou a meio mas mais uma tardezita dedicada a ele e despacho-o. :)

E por aí? Já leram?

 

 

IMG_20180607_135814_734.jpg

 

 

Qua | 06.06.18

Os teus olhos lembram o mar

RP

“Os teus olhos lembram o mar” dizias-me tu. Azuis esverdeados nos dias coloridos qual dia de praia no Verão e cinza quando não estou bem ou os dias estão cinzentos.

“Os teus olhos lembram o mar” dizias-me tu. E para mim era o suficiente. Quando os problemas surgissem era só ver que se tenho o mar nos olhos então também tenho a força para manter a calma à superfície quando por dentro tudo está agitado. Se tenho o mar nos olhos também tenho a mesma prontidão para contornar os obstáculos depois de ver que bater de frente não é solução tal e qual a água. Se tenho o mar nos olhos então também nos dias em que por muito brava que estivesse se me soubesses apaziguar com a palavra certa toda a ira se espumaria tal e qual a onda quando chega à areia.

“Os teus olhos lembram o mar” dizias-me tu. E isso nem sempre é bom. O mar não é calmo, nunca será e está apenas à altura do bom marinheiro. O mar também atraiçoa assim como os meus olhos o fazem sempre que tento esconder algo que não quero que se saiba ou quando a boca não está em conformidade com o coração. O mar também destrói. Destrói o que é mau mas também destrói o que é bom. O mar é salgado e tu não soubeste como lidar quando eu em vez de doce era apenas sal.

“Os teus olhos lembram o mar” dizias-me tu. E eu ouvia e ficava feliz, ridícula, patética como ficam sempre os intervenientes das histórias de amor que acontecem todos os dias. Sim porque se não ficamos patéticos de vez em quando então não é lá grande história. Todos os amores têm sempre um pouquinho de ridículo.

“Os teus olhos lembram o mar” dizias-me tu. E agora passado todo este tempo por vezes pergunto-me: “E tu? Ao veres o mar ainda te lembras dos meus olhos?”

z_lndxiLglw_783x0.jpg

(imagem retirada da web)

 

Qua | 06.06.18

Sou sexy, eu sei!

RP

Confesso que não sou fã deste género de filmes...

Nem propriamente da atriz.

Mas pelo trailer parece-me engraçado e sendo eu uma jovem que sempre teve alguns problemas com a tão afamada auto-estima parece-me uma boa sugestão. 

Quem já viu? Aconselham?