Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

As Taras Da Lina

Geminiana de signo. Nascida à beira-mar e a viver nas montanhas. Gosto de viajar pelo mundo, pelos livros e pelo cinema. Licenciada em Comunicação. Dona de um pastor alemão. Convicta que a vida sabe sempre o que faz.

As Taras Da Lina

Geminiana de signo. Nascida à beira-mar e a viver nas montanhas. Gosto de viajar pelo mundo, pelos livros e pelo cinema. Licenciada em Comunicação. Dona de um pastor alemão. Convicta que a vida sabe sempre o que faz.

Seg | 31.12.18

Bom ano

RP

Hoje é um dia de viragem.

Termina um ano e começa outro.

É dia de pedir desejos enquanto se come passas. Se bem que ainda ninguém comprovou cientificamente que as passas realizam o que quer que seja :P Mas adiante.

Entrem com o pé direito. Que os vossos desejos se realizem. Que as vossas metas sejam atingidas. E por muito que custe deixem o que não vos acrescenta, o que ainda vos mói em 2018. Eu vou tentar fazer o mesmo.

Que sejam sempre felizes.

São os meus votos de bom ano. 

Sab | 29.12.18

Amor é a resposta

RP

"Amor é a resposta para todos as perguntas. Ama mais, sem demora, sem senão, não deixes de fazer o que te faz feliz. Sente mais, sem medos, sem nunca perder a capacidade de se meter no lugar do outro. Mais paciência, para os dias piores, sem perder a fé, a vontade, o acreditar que dias melhores estão por vir. Liga para quem te faz falta, diz mais vezes “ gosto de ti”. Se sentes a falta, mata as saudades, procura e vai ao encontro. Declara o que sentes, sem vergonha, sem receios, os que amas precisam de saber do que sentes. Age sempre, em conformidade com o que tu és, com o que tu sentes." 

Texto da autoria de Sofia Almeida do blog "Meu Doce Limão"

Dom | 23.12.18

Favoritos de Natal - Momentos

RP

Como já perceberam gosto de Natal.

E há sempre algo nesta época que me marca.

A minha família materna sempre teve por hábito juntar-se toda na consoada. Avós, filhos e netos. Ainda hoje o fazemos. Houve tempos em que éramos mais de 35 pessoas à mesa. Estaríamos no ano de 2000 ou 2001 e o meu padrinho apareceu na noite de consoada para jantar com 3 ucranianos.

Ninguém os conhecia, ninguém sabia que eles iam. Simplesmente apareceu lá em casa com eles. A justificação foi que eles iam passar a noite da Consoada sozinhos num contentor. Na altura trabalhavam nas obras e almoçavam no restaurante do meu padrinho. Ele perguntou-lhes se iam à terra passar com a família.  Disseram que não. Iam passar os três juntos. O meu padrinho, claro, tocado com a solidão deles, e de cabeça quente e coração grande, disse logo que vinham passar connosco, sozinhos é que não.

E foi assim que um certo Natal tivemos a família toda rodeada à mesa e três ucranianos. (e não digo a nacionalidade deles como modo pejorativo, não me interpretem mal). E sabem o que melhor me lembro nesse dia? Não me lembro das prendas que me deram, nem da roupa que usava. Nem me lembro se comi muito ou pouco.

Enquanto nós recebíamos presentes eles batiam palmas connosco. (Sim somos muito entusiastas no Natal, desembrulhamos as prendas mostramos e batemos palmas como se tivessemos recebido algum prémio, uma família normal portanto...) Entretanto a minha prima, filha do meu padrinho que sabia que eles iam, entregou-lhes um presente a cada um. Eram apenas meias, mas para eles que até aquele dia contavam ter uma noite igual a tantas outras num contentor no Porto foi como se tivessem recebido um tesouro. 

O misto de comoção na cara deles que demonstrava surpresa e gratidão. As lágrimas a escorrer-lhes pela cara. É isto que me lembro. Tão bem quanto hoje. E já lá vão quase 20 anos.

Porque no fim o que nos marca não é o que nos dão. É como nos tratam. 

 

Sab | 22.12.18

Favoritos de Natal - Sentimentos

RP

Eu sei que nesta época também há muita hipocrisia e falsidade. E que há também muito consumismo. 

Mas referindo-me a sentimentos bons.

Se há sentimento que mais gosto nesta altura é o espírito de partilha que se apodera de nós. 

O partilhar gentileza, ou seja, sermos mais atentos e gentis com quem nos rodeia. O partilhar um bem alimentar, uma peça de roupa, ou até apenas um sorriso com quem mais necessita. O partilhar carinho, escolhendo uma prenda para alguém pensando no que a/o fará sorrir. O partilhar a alegria com a nossa família na consoada. O partilhar também um pouco a tristeza com a saudade no pensamento por com quem já lá não está. O partilhar as nossas frustrações com os amigos que já não nos aturam com o drama de sempre mas como é Natal abrem uma excepção. O partilhar mágoas porque nesta época não pode haver lugar para "dores" e divididas por todos não custa a ninguém. O partilhar desejos para o novo ano que aí vem. E acima de tudo o partilhar amor, com quem nos quer bem (e com quem não quer também, até porque cada um dá o que tem!)

Pág. 1/3