Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

As Taras Da Lina

Geminiana de signo. Nascida à beira-mar e a viver nas montanhas. Gosto de viajar pelo mundo, pelos livros e pelo cinema. Licenciada em Comunicação. Dona de um pastor alemão. Convicta que a vida sabe sempre o que faz.

As Taras Da Lina

Geminiana de signo. Nascida à beira-mar e a viver nas montanhas. Gosto de viajar pelo mundo, pelos livros e pelo cinema. Licenciada em Comunicação. Dona de um pastor alemão. Convicta que a vida sabe sempre o que faz.

Sab | 08.06.19

Caminhadas Literárias #1

RP

É hoje.

Após tantos meses de reuniões e ensaios hoje temos as Caminhadas Literárias pelo Montemuro.

Durante todo o dia ao longo de 24 km vamos conhecer a Serra mais desconhecida de Portugal.

54278901_571353890032065_6908040671790104576_o.jpgUm projeto que ficará como um marco por aliar Cultura, com teatro e literatura, à Natureza mas ainda mais por aliar três municípios num evento conjunto que promove o património natural que os une. 

57221269_584160802084707_8663146248045330432_n.jpg

Eu, que sou a favor que juntos fazemos sempre melhor, estou feliz por fazer parte deste projeto. 

Mesmo que  nunca mais aconteça pelo menos uma vez aconteceu. 

Nós empenhados nos ensaios

61103199_2208201635936478_2774627082654764934_n.jp

A bela da Serra

56393291_242948559874796_2023052652067056360_n.jpg

 

60360981_121800689027678_4278221150087171255_n.jpg

 

61067533_137691550716468_8576482867784946933_n.jpg

 

 

 

 

Sex | 07.06.19

Chernobyl

RP

Agora que acabaram a carrada de trabalhos de faculdade e os 1500 artigos para ler.

E enquanto respiro de alívio até começar a meter-me noutra aventura (a tese).

Queria dedicar-me a umas séries.

Mas o GOT acabou e os meus Vikings estão em stand-by até para o ano, e a Casa de Papel só no próximo mês. 

Entretanto ouvi um burburinho em relação a Chernobyl. E como até sou da área das Relações Internacionais parece-me interessante.

Alguém vê? Ou viu? Vale a pena?

5cf5892742bb7.jpeg

 

Qua | 05.06.19

Vistas do Escritório #9

RP

No início de Maio tive mais uma viagem em trabalho, desta vez ao País Basco.

Apesar de muitas vezes irmos com o tempo contado dá sempre tempo para ver um ou outro sítio mais turístico para podermos fazer um visto na lista ;) 

Deixo-vos algumas fotos de San Sebastian, Bilbao e uma zona mais rural, Bizkaia.

60003699_856174071401022_7862251610322239488_n.jpg

San Sebastian

60008223_591760414678722_1022683592087568384_n.jpg

San Sebastian

60138357_361489947822466_3952544173558595584_n.jpg

San Sebastian

60143565_411458053026085_8207651334078332928_n.jpg

San Sebastian

60361874_480561619383212_6926145384871886848_n.jpg

San Sebastian

60361997_910625409280064_7694883993291849728_n.jpg

San Sebastian

60200556_394975274692809_1130196355902341120_n.jpg

Bizkaia

60356240_428887164328276_3883407896016322560_n.jpg

Bizkaia

60017503_400520853872150_8883983197138845696_n.jpg

Bilbao

60089531_2230453220394920_4674145228142149632_n.jp

Bilbao

60143210_671712099925525_5816584139213635584_n.jpg

Bilbao

60177253_454714541758366_4926635033940197376_n.jpg

Bilbao

60213838_1898362130270492_8369371928107941888_n.jp

Bilbao

60350138_473208660171950_2931977970283184128_n.jpg

Bilbao

60414901_390174991600639_5327530562703851520_n.jpg

Bilbao

60454004_2339913032912951_1281303888175038464_n.jp

Bilbao

60489216_2424639460919919_2903833350240206848_n.jp

Bilbao

Ter | 04.06.19

Cura emocional

RP

"Feridas emocionais podem levar mais tempo para cicatrizar do que feridas no corpo. Os danos causados ​​por desprezo, rejeição, perda ou fracasso deixam cicatrizes profundas que não são fáceis de fechar.

O problema é que, se nos apressarmos, corremos o risco de causar mais danos ou até prejudicar as pessoas à nossa volta. Se ainda não superamos um relacionamento antigo e nos colocamos em outro, o mais provável é que arrastemos toda essa carga emocional negativa e auto-sabotemos o novo relacionamento até que ele falhe.

Dessa forma, é provável que acabemos acorrentando uma série de fracassos e desapontamentos, a ponto de pensar que há um problema em nós, quando na verdade o que aconteceu é que não estávamos preparados para recomeçar. Para abrir um novo capítulo da nossa vida, precisamos fechar os antigos capítulos. Se olharmos continuamente para o passado, se o fantasma do ontem está atrás de nós, não podemos tirar proveito de todo o bem que o futuro nos reserva.

Como saber se estou pronto para começar de novo?

Às vezes, quando sofremos uma grande decepção ou desapontamento, a dor é tão forte que tudo o que queremos é seguir em frente e desaparecer. Isso pode nos fazer desconectar do nosso interior e buscar estímulos fora de nós que desviem nossa atenção do problema. Como resultado, podemos nos enganar e acreditar que a situação acabou.

O desejo de se sentir melhor e deixar para trás o passado nos impede de perceber que ainda não estamos prontos para começar de novo e que precisamos de mais tempo. É por isso que nos apressamos a tomar decisões, não percebemos os sinais que indicam que ainda não superamos o que nos aconteceu.

No entanto, um dos sinais inconfundíveis de que as feridas emocionais foram fechadas é quando conseguimos contar essa história sem experimentar as emoções intensas que nos bloqueavam no início.

Se for uma perda importante, por exemplo, você saberá que a superou quando puder contar o que aconteceu sem chorar ou vivenciar esse momento triste dos primeiros tempos, quando em seu lugar há apenas uma doce nostalgia.

Quando se trata da decepção de um casal, por exemplo, você saberá que virou a página quando, em vez de lembrar de todos os negativos e se sentir terrivelmente errado, pode lembrar-se das coisas positivas que sente que fez as pazes com esse passado.

Para saber que você se curou por dentro, você precisa sentir a paz interior novamente, para recuperar o equilíbrio mental que você perdeu. Reconecte-se com o seu interior sem sentir medo das emoções que você experimentou e volte a se sentir confortável consigo mesmo.

Essas sensações não mentem, elas são um indicador confiável de que você recompôs os pedaços quebrados e está pronto para começar de novo, seja um novo relacionamento, um novo projeto de trabalho ou até mesmo uma nova vida em outro lugar.

Palavras como sinal de recuperação emocional

Nós todos não nos recuperamos da mesma forma depois de sofrer um colapso emocional. Há quem precise do seu espaço e não queira resolver o problema. De fato, quando se trata de feridas profundas, falar sobre o que aconteceu nos estágios iniciais pode ser praticamente impossível. Você pode sentir um nó na garganta que o impede de contar o que aconteceu. É normal.

De certa forma, essa relutância em falar sobre o evento traumático pode atuar como um mecanismo de defesa que nos protege para nos impedir de reviver a situação que está nos prejudicando. Neurocientistas da Universidade de Harvard descobriram como os traços dolorosos do trauma permanecem gravados em nossos cérebros.

Processar o trauma implica transformá-lo em uma experiência narrativa que encontra um espaço em nossa história de vida. Isso significa que, mais cedo ou mais tarde, devemos falar sobre o que aconteceu, porque só então podemos processá-lo e retirá-lo de seu enorme impacto emocional.

Portanto, a possibilidade de falar sobre a situação que causou tanto dano é também um indicador de que estamos nos curando internamente."

Texto retirado daqui

 

Pág. 3/3