Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

As Taras Da Lina

Geminiana de signo. Nascida à beira-mar e a viver nas montanhas. Gosto de viajar pelo mundo, pelos livros e pelo cinema. Licenciada em Comunicação. Dona de um pastor alemão. Convicta que a vida sabe sempre o que faz.

As Taras Da Lina

Geminiana de signo. Nascida à beira-mar e a viver nas montanhas. Gosto de viajar pelo mundo, pelos livros e pelo cinema. Licenciada em Comunicação. Dona de um pastor alemão. Convicta que a vida sabe sempre o que faz.

Qui | 06.09.18

A minha família do Norte

RP

Na terça foi dia de cinema.

E a minha escolha recaiu numa comédia francesa, "A minha família do Norte"

aminhafamiliadonorteposter.jpg

 

Como já conhecia os filmes do ator Danny Boon decidi arriscar.

Vejam então a sinopse e o trailer:

"Valentin D. e Constance Brandt são um casal de estilistas no auge das suas carreiras. Em preparações para um desfile de luxo no prestigiado Palácio de Tóquio, em Paris, eles não cabem em si de excitação e orgulho. Valentin nunca revelou as suas origens modestas, de forma a fazer-se passar como produto de uma cultura sofisticada e cosmopolita. Quando a família, que já não tinha notícias suas há muito tempo, o vê na televisão, resolve aparecer sem pré-aviso no mais importante momento da sua carreira. Em pânico, ele tenta evitá-los a todo o custo. É então que é atropelado e sofre um traumatismo craniano que o faz perder as memórias das últimas duas décadas. Assim, um homem conhecido pelo bom gosto e requinte transforma-se no campónio que fora 20 anos antes, quando abandonou a sua pequena aldeia, algures no norte de França. Esta súbita transformação deixa a família radiante, mas vai levar Constance à beira da loucura…"

 

 

Estou arrependida da escolha? Nem por isso.

Tem umas partes um bocadinho clichés, é verdade, mas não deixa de nos fazer rir a bom rir.

E para quem acha que o filme goza com o pessoal do Norte da França e a sua pronúncia está redondamente enganado. O filme é mais a modos que uma forma de dar destaque a uma característica regional que a França se deveria orgulhar.

Faz-nos rir, mas também nos faz ficar ligeiramente emocionados em algumas partes.

E faz-nos repensar um pouco na relação que temos com as nossas origens. E com os nossos pais. Já pensaram que os nossos pais dão-nos tudo e nós às vezes como agradecimento apenas lhes dizemos que estamos sem paciência para eles?

Vejam o filme. Vale a pena!