Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

As Taras Da Lina

Geminiana de signo. Nascida à beira-mar e a viver nas montanhas. Gosto de viajar pelo mundo, pelos livros e pelo cinema. Licenciada em Comunicação. Dona de um pastor alemão. Convicta que a vida sabe sempre o que faz.

As Taras Da Lina

Geminiana de signo. Nascida à beira-mar e a viver nas montanhas. Gosto de viajar pelo mundo, pelos livros e pelo cinema. Licenciada em Comunicação. Dona de um pastor alemão. Convicta que a vida sabe sempre o que faz.

Dom | 15.03.20

"O homem que plantava árvores"

RP

"O Homem que plantava árvores" de Jean Giono foi um livro que li, sem querer exagerar, em cerca de 15/20 minutos.

Livro1.jpg

 

Segundo a wook, este livro "Inspirado em acontecimentos verdadeiros, traduzido em diversas línguas e largamente difundido pelo mundo inteiro, (...) é uma história inesquecível sobre o poder que o ser humano tem de influenciar o mundo à sua volta. Narra a vida de um homem e o seu esforço solitário, constante e paciente, para fazer do sítio onde vive um lugar especial.
Com as suas próprias mãos e uma generosidade sem limites, desconsiderando o tamanho dos obstáculos, faz, do nada, surgir uma floresta inteira - com um ecossistema rico e sustentável."

Livro3.jpg

Elzéard Bouffier, o pastor, levou uma vida solitária mas persistente, plantando árvores mesmo sem saber se as mesmas iriam "vingar" no futuro. Esta perserverança fez com que uma zona deserta se tornasse numa floresta e as pessoas passassem a usufruir da mesma.

Era uma pessoa que fazia o bem sem procurar o retorno até porque já não era propriamente novo e quando as árvores estivessem no seu auge provavelmente já nem estaria vivo, o que mesmo assim não foi impeditivo de continuar a plantá-las.

Livro2.jpg

Como sabem faço parte de uma associação ambiental e talvez tenha ajudado a gostar do livro mas creio que não foi fator isolado. Gostei também pela mensagem que passa de que por vezes não fazemos as coisas por achar que uma pessoa sozinha não consegue fazer a mudança mas somos maiores, e temos mais poder, que o que pensamos.

Faz parte do Plano Nacional de Leitura mas recomendo-o a qualquer idade. E a qualquer fase da vida, aposto que sempre que o lerem terão uma interpretação diferente e significativa do momento pelo qual estão a passar.

 

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.