Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

As Taras Da Lina

Comunicadora, Sonhadora, Sardenta, Desastrada q.b., Geminiana, Cinéfila, Leitora Compulsiva, Fotógrafa Amadora, Dog Person e Cidadã do Mundo mas a viver em Portugal. Be my guest ;)

As Taras Da Lina

Comunicadora, Sonhadora, Sardenta, Desastrada q.b., Geminiana, Cinéfila, Leitora Compulsiva, Fotógrafa Amadora, Dog Person e Cidadã do Mundo mas a viver em Portugal. Be my guest ;)

A era dos filtros

Vivemos na era dos filtros. As pessoas tiram uma foto e antes a postar nas redes sociais é só filtros, embelezamentos, photoshops entre outras mudanças, tudo pela busca dos 1500 likes e de comentários a gabar a beleza natural que de natural tem pouco. E depois passamos pelas pessoas na rua e não as reconhecemos. Ou elas são identificadas em fotos de terceiros e nem parecem as mesmas. Apesar de tudo estes filtros não me incomodam e a meu ver são os mais inofensivos.

O problema são os outros filtros. Pessoas que gostam de se passar pelo que não são. Que gostam de provocar, de infernizar, ou pelo menos tentar, a vida aos outros. Pessoas que parecem não fazer mal a uma mosca e no fundo tentam fazer mal a toda a gente, ou pelo menos, aquelas que acham que serão concorrência em algum aspeto seja no campo profissional, pessoal ou até de relacionamentos.  Nunca gostei desse género de filtros. Até porque no meu caso se não gosto de algo por muito que não abra a boca nota-se na minha cara. Mas o facto de não gostar desse género de gente não quer dizer que lhes faça o mesmo. Se toda a gente tentasse infernizar a minha vida como eu infernizo a deles estaríamos todos a viver em paz. Sim eu digo tentar porque até posso reparar quando alguém me tenta “atacar” mas faço de conta porque honestamente as coisas e pessoas só têm a importância que nós lhe dermos. E como já disse numa crónica anterior as pessoas que atualmente não gostam de mim e tentam picar-me não me conseguem pôr mal nem chateada apenas e só me dão sono. E isso não era necessário porque já sofro de sono que chegue.

Portanto meus caros, filtros só no instagram para embelezar paisagens e parecer que somos fotógrafos profissionais, porque lá a vida é sempre perfeita. Na vida real, aquela que nem sempre corre bem, usem filtros só para filtrar o que de bom nos acontece, os amigos que valem a pena… Ou para filtrar o chá. Filtros para me fazer melhor que alguém dispenso. Até porque não estou acima de ninguém… Mas também não estou abaixo. E parecer uma pessoa super simpática, super querida e amorosa e depois andar a tentar tramar os outros ou a picar por querer algo que as outras pessoas têm ou tiveram… Não dá para mim. E também não deveria dar para vocês. De facto vivemos na era dos filtros. Não vão em modas e façam como eu, fiquem-se pelos das redes sociais.

Ainda vou a tempo de vos desejar bom ano?

Quando somos crianças achamos que somos os donos do mundo e que conseguimos tudo. Depois o brinquedo parte e ficamos desiludidas porque era suposto aquilo durar para sempre. Entretanto o joelho esfola e choramos de dor a pensar como é possível que algo tão mau nos aconteça.

Vamos crescendo e o coração parte porque o nosso “fraquinho” acha que não somos boas o suficiente para ele. A auto-estima dói porque as miúdas populares da escola não querem ser nossas amigas. Sofremos em silêncio porque temos boas notas e somos gozadas e chamadas de marronas.

Chegamos à idade adulta e, mais maduras, desvalorizamos todas aquelas dores do passado por serem patéticas. Mas ficamos frustradas porque não temos dinheiro para fazer o investimento que queremos. Ficamos tristes porque para o conseguir deixamos muitas das coisas que nos faziam bem. Damos por nós a trabalhar num local que não tem nada a ver com o que almejávamos e a ir abaixo porque alguém superior não valoriza o nosso trabalho. A ditadura de beleza deita-nos ao chão porque não temos as medidas perfeitas (?!?) das modelos das Victoria’s Secret. E o pior, somos impotentes perante a dor e a doença dos que nos rodeiam e a quem queremos bem.

Talvez a esta hora já deveríamos saber que nada é garantido nesta vida. Que quem nasce só tem uma única certeza é a de que também morre. E mesmo sabendo que é o que nos espera sofremos, revoltamo-nos e entristecemos quando isso acontece.

Talvez a esta hora seria uma boa altura de deixarmos de nos sentir mal pelo que não temos e começar a agradecer tudo o que vivemos. Agradecer as pessoas maravilhosas que passam por nós e lá continuam. Agradecer os lugares que temos oportunidade de conhecer. Agradecer aqueles momentos que nos arrepiam todos os pêlos dos braços. Agradecer por respirar.

Se à morte ninguém escapa talvez seja hora de aprender a viver com isso, a arriscar mais e a vencer os nossos medos. Talvez seja hora de ter tranquilidade no coração, calma na alma e confiança em nós e no que valemos. Em aproveitar o lado bom da vida e a viver de consciência tranquila que enquanto cá estivermos fazemos o que for possível para valer a pena.

Ainda vou a tempo de vos desejar bom ano?

P.S. É bom estar de volta. Nem que seja só com um post :)

Life

80% dos acontecimentos da nossa vida não serão como prevíamos ou gostaríamos que fossem.

A vida não é moldável. Sim, nós escolhemos a forma como a encaramos mas a partir do que ela nos dá.

Por vezes achamos que ela não nos dá como devia, que está a ser ingrata e que não temos sorte nenhuma.

Mas se pararmos de nos queixar e prestarmos atenção vemos que ela nos dá exatamente o que precisamos.

E que há acasos, momentos e arrepios na espinha que são muito melhores que tudo o que poderíamos imaginar.

Cada desânimo, frustração e lágrima derramada é substítuida por surpresas (às vezes demoram mas chegam).

E quando essas surpresas chegam até um simples pôr do sol nos faz gratos por poder presenciá-lo.

Este é de Leça da Palmeira, ontem. 

A vida é inesperada... E é por isso que sabe bem vivê-la! :)

Boa Semana!

IMG_20150920_192121.jpg

 

 

 (Foto da minha autoria)

We used to have it all...

Nada na vida é certo, nem mesmo quem tomamos por garantido para sempre a nosso lado.

Nestas alturas temos que acreditar que quem vier terá razões para ficar e parar de nos lamentarmos por quem partiu.

Quanto a esses ficam as lembranças de quando tudo deu certo e os momentos bons proporcionados.

A vida é com os que ficam, independentemente das circunstâncias...

Como diz a música do Kygo:

 

"No heroes, villains, one to blame
While wilted roses fill the stage
And the thrill, the thrill is gone
Our debut was a masterpiece
But in the end for you and me
Oh, the show, it can't go on
We used to have it all, but now's our curtain call
So hold for the applause, oh
And wave out to the crowd, and take our final bow
Oh, it's our time to go, but at least we stole the show
At least we stole the show"

 

 

Se estás a ler estas palavras é porque estás vivo...

“É tão fácil comparar a vida a uma viagem. Faz tanto sentido.
Viagem ou vida, chegamos sempre aqui. Como se estivéssemos no alto de uma montanha, podemos olhar em volta. Aqui é o lugar onde tudo acontece. Há serenidade nesta certeza. Tens o dever livre de aproveitá-la.
Se estás a ler estas palavras é porque estás vivo.” 

 

José Luís Peixoto, "Dentro do Segredo"

 

Vivam ao máximo o vosso fim de semana :)