Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

As Taras Da Lina

Geminiana de signo. Nascida à beira-mar e a viver nas montanhas. Gosto de viajar pelo mundo, pelos livros e pelo cinema. Licenciada em Comunicação. Dona de um pastor alemão. Convicta que a vida sabe sempre o que faz.

As Taras Da Lina

Geminiana de signo. Nascida à beira-mar e a viver nas montanhas. Gosto de viajar pelo mundo, pelos livros e pelo cinema. Licenciada em Comunicação. Dona de um pastor alemão. Convicta que a vida sabe sempre o que faz.

Qui | 21.01.21

Um ano de pandemia não bastou...

RP

Um ano de pandemia não bastou para que, finalmente, abríssemos os olhos.

Um ano de pandemia não bastou para que se soubesse, de uma vez por todas, que temos que nos colocar no lugar do outro.

Um ano de pandemia não bastou para perceber que o nosso esforço de ter de ficar em casa nada é comparado com o dos que lutam diariamente para colmatar os efeitos nocivos das nossas atitudes irresponsáveis.

Um ano de pandemia não bastou para aprender a fazer coisas tão simples como lavar as mãos ou usar uma máscara.

Um ano de pandemia não bastou para entender que maior frustração que a chatice de ter de ficar em casa é a de ver pessoas embirrentas que fazem o que querem, sem se preocupar com o resultado de tais ações.

Um ano de pandemia não bastou para compreender que a crise económica futura que aí vem não é tanto resultado das medidas impostas pelo governo mas sim dos que contribuem para que as mesmas não atenuem.

Um ano de pandemia não bastou para se dar conta que haverá tempo para passear, juntar toda a gente e aproveitar ao máximo, mas que isso não pode, nem deve, ser feito agora.

Um ano de pandemia não bastou, nem serão dois ou três que bastarão, enquanto tivermos a mesma atitude.

Porque a única coisa que um ano de pandemia nos mostrou foi que, desde que na nossa bolha esteja tudo bem, não queremos saber. 

Desvalorizamos o outro porque apenas importa o que gira à nossa volta. 

Somos apenas, e só, pessoas egoístas… 

Mesmo que não o queiramos admitir.

2 comentários

Comentar post